Reino Unido: POLÍCIA DETÉM 27 MEMBROS DO ‘JUST STOP OIL’ QUE CONSPIRAVAM CAUSAR O CAOS NOS AEROPORTOS BRITÂNICOS DURANTE O VERÃO

Este é o momento em que, uma ativista do movimento Just Stop Oil, é arrastada para fora de casa pelos braços, ao ser detida por causa da conspiração do grupo para provocar o caos nos aeroportos britânicos durante o verão deste ano.

A apoiante é uma das 27 pessoas detidas pela polícia esta semana, suspeitas de conspirarem para perturbar os aeroportos este verão, no âmbito de uma operação policial coordenada, “rápida e robusta”.

Falando para uma câmara no momento da sua detenção por três agentes, a mulher disse repetidamente que “não tinha feito nada de errado”.

No vídeo de um minuto, que surgiu no X, a mulher viu-se rodeada por agentes e começou por dizer: “Petróleo e gás significam colapso. Significa a perda de tudo o que conhecemos. O nosso sistema político está absolutamente falido”.

E acrescentou: “Não fiz nada de errado. Sou apoiante da Just Stop Oil. Vieram a minha casa e prenderam-me em minha casa”.

Enquanto era levada para o exterior e cuidadosamente carregada pelos agentes para um veículo da polícia que a aguardava, disse: “Esta é a minha casa. Não podem vir a minha casa e prender-me”.

Numa resposta ao MailOnline, a Met Police disse que não pode comentar detenções individuais, no entanto, um total de 27 “organizadores-chave” de perturbações planeadas foram detidos em Londres, Gloucestershire, Oxfordshire, Devon, Essex, Manchester, Surrey, Sussex, Norfolk e West Yorkshire.

Na terça-feira, quatro pessoas foram detidas e libertadas sob fiança depois de terem sido identificadas no aeroporto de Gatwick, enquanto na quinta-feira, seis foram detidas num centro comunitário do leste de Londres, no âmbito de um evento publicamente anunciado para promover a perturbação do aeroporto.

Ontem, 17 pessoas foram detidas nas suas casas em todo o país.

Numa declaração emitida na sexta-feira, a Met Police afirmou: “Todos os indivíduos foram detidos ao abrigo de uma secção da Lei da Ordem Pública que torna ilegal a conspiração para perturbar as infra-estruturas nacionais. Entre os detidos encontram-se vários membros de alto nível da Just Stop Oil, que acreditamos serem os principais organizadores”.

Os agentes da Met trabalharam com mais de oito outras forças policiais para prender os suspeitos nas suas casas em todo o país. No total, foram detidas 17 pessoas”.

Ian Howells, que liderou a operação, afirmou: “Sabemos que a Just Stop Oil está a planear perturbar os aeroportos de todo o país este verão, razão pela qual tomámos agora medidas rápidas e firmes. A nossa posição é muito clara: qualquer pessoa que comprometa a segurança dos aeroportos de Londres pode esperar uma resposta enérgica dos agentes ou do pessoal de segurança. Os aeroportos são ambientes operacionais complexos e é por isso que estamos a trabalhar em estreita colaboração com eles, agências e outros parceiros nesta operação”.

A Met Police acrescentou que “de futuro, qualquer pessoa suspeita de violar esta condição

O grupo de protesto organizou recentemente numerosas acções de grande visibilidade, que provocaram a indignação de políticos e membros do público.

No início deste mês, dois dos membros do grupo foram detidos por terem pintado Stonehenge com tinta cor de laranja.

O Primeiro-Ministro Rishi Sunak condenou o ataque como um “ato vergonhoso de vandalismo contra um dos monumentos mais antigos e importantes do Reino Unido e do mundo”.

O líder trabalhista Sir Keir Starmer disse que “Just Stop Oil é patético” após a ação.

Num tweet, escreveu: “Os danos causados a Stonehenge são ultrajantes. A Just Stop Oil é patética. Os responsáveis devem enfrentar toda a força da lei”.

Nas últimas semanas, os activistas também atacaram jactos privados no aeroporto londrino de Stansted.

De acordo com uma fonte, a ação em Stansted foi apenas um “prelúdio” dos planos para perturbar ainda mais aeroportos nos próximos meses.

Em declarações ao The Times, a fonte disse: “Esta é apenas mais uma forma de agirmos nos teatros da vida em que existimos, porque não somos políticos. Os jactos privados são obviamente responsáveis pelas emissões e a maioria das pessoas concorda que é preciso acabar com eles. É uma chamada de atenção para o governo de que precisamos de grandes mudanças radicais”.

A polícia tem sido continuamente pressionada pelo governo para adotar uma linha mais firme com os manifestantes, a fim de limitar as perturbações que estes causam. E assim aconteceu e continuará a acontecer…

app jornal
Go to TOP
Translate »