Reino Unido: ECONOMIA CRESCE MAIS DO QUE O PREVISTO DESDE O INÍCIO DE 2024

À medida que o país ia saindo da recessão, a economia do Reino Unido cresceu mais do que o inicialmente estimado nos primeiros três meses de 2024, segundo dados oficiais revistos. Entre janeiro e março deste ano, a economia cresceu 0,7%, segundo o Office for National Statistics (ONS). Os números divulgados no mês passado indicavam inicialmente um crescimento de 0,6%.

A força da economia tem sido um campo de batalha central na campanha para as eleições gerais, uma vez que o crescimento tem sido lento nos últimos anos.

A maioria dos economistas, políticos e empresas querem ver o PIB a aumentar de forma constante, porque isso significa que as pessoas estão a gastar mais, que são criados mais empregos, que são pagos mais impostos ao governo e que os trabalhadores recebem melhores aumentos salariais.

O valor original para o primeiro trimestre do ano foi mais forte do que os economistas esperavam e o crescimento no sector dos serviços, que inclui empresas como cabeleireiros, bancos e hotelaria, ajudou a aumentar o valor, segundo o ONS.

Mas enquanto o crescimento dos serviços foi revisto em alta, os aumentos na indústria transformadora foram revistos em baixa devido à recolha de mais dados.

Devido à revisão em alta, o Reino Unido foi a economia com o crescimento mais rápido no grupo de países do G7, que têm as economias mais ricas, no mesmo período.

O primeiro-ministro e líder dos conservadores, Rishi Sunak, saudou a nova revisão de crescimento e afirmou que o seu partido tem um “plano claro para proporcionar um futuro mais seguro para a sua família”.

Mas os trabalhistas acusaram os conservadores de “14 anos de vandalismo económico”, que, segundo eles, deixaram as pessoas em pior situação.

“Um governo trabalhista fará crescer a economia e mostrará que a Grã-Bretanha está aberta aos negócios com um plano de crescimento, para que possamos voltar a pôr dinheiro nos bolsos das pessoas”, afirmou um porta-voz.

Sarah Olney, porta-voz do Partido Liberal Democrata para a Economia, afirmou que, apesar da revisão em alta, os números “não servem de consolo para as famílias que estão a ser afetadas pelo aumento das prestações das hipotecas, por impostos injustos e pelo custo de uma compra semanal de alimentos que está a subir em flecha”.

Paul Dales, economista-chefe para o Reino Unido da empresa de investigação Capital Economics, explica que o aumento mais rápido do PIB no início de 2024 se deve “principalmente a revisões em alta das despesas de consumo”.

O ONS disse que houve um aumento nos gastos com entretenimento e cultura, bem como com habitação e alimentação, mas acrescentou que os meios disponíveis das famílias continuou a aumentar no início de 2024, à medida que os trabalhadores garantiam aumentos salariais.

Dales disse que isso significa que as taxas de poupança das famílias aumentaram de 10,2% no final do ano passado para 11,1%, que foi a taxa mais alta desde meados de 2021, quando a poupança foi reduzida durante a pandemia de Covid.

Acrescentou que o novo valor sugere que “quem quer que seja o primeiro-ministro na próxima semana pode beneficiar do facto de a recuperação económica ser um pouco mais forte”.

Cheers Restaurant
Go to TOP
Translate »