Reino Unido: TRABALHISTAS TÊM PLANOS SECRETOS PARA AUMENTO DE IMPOSTOS COMO SOBRE CASAS DE FAMÍLIA, HERANÇAS E PATRIMÓNIO

O Partido Trabalhista têm estado pressão para “dizer a verdade” sobre um dossier polémico que revela planos de aumento de impostos. A notícia vinha no Daily Mail , que revela as propostas apresentadas por um grupo de deputados do partido – cujos membros incluem Keir Starmer – a sugerir seis medidas para angariar 60 mil milhões de libras.

Estas incluíam o aumento dos impostos sobre heranças e mais-valias, a imposição de uma taxa “jackpot” sobre a riqueza extrema e a introdução de reformas no imposto municipal (Council Tax) que poderia duplicar as despesas de uma família em Inglaterra.

O plano também propunha obrigar os reformados ativos a pagar Segurança Social.

Altos responsáveis do Partido Conservador afirmaram que o dossier desmente a afirmação do líder trabalhista, que diz “não ter planos” para novos aumentos de impostos se ganhar as eleições do próximo mês.

Mas os trabalhistas insistem que Keir Starmer não teve “nada a ver” com a apresentação do manifesto pelo grupo’ Tribune’ de deputados trabalhistas, do qual é membro.

Um porta-voz afirmou que o documento apresentado ao Fórum Político Nacional tinha sido rejeitado e descreveu as críticas dos conservadores como “desespero”.

E acrescentou: “Nada disto é política trabalhista. Os conservadores são o partido dos impostos elevados. Os trabalhistas garantirão que os impostos sobre os trabalhadores sejam tão baixos quanto possível”.

Mas a secretária principal do Tesouro, Laura Trott, afirmou que o plano “chocante” mostrava que o Partido Trabalhista estava “a considerar ativamente uma série de aumentos de impostos prejudiciais” para preencher um enorme vazio nos seus planos.

Depois de terem passado toda a campanha a não excluir estes aumentos de impostos, este documento mostra claramente que o plano deles tem sido sempre o de aumentar os impostos de forma generalizada”, afirmou.

“Chegou a altura do Partido Trabalhista ser honesto com o público: que impostos tencionam aumentar?”

A revelação foi feita quando Sir Keir sugeriu que a promessa do Partido Trabalhista de não aumentar os impostos sobre “os trabalhadores” não abrangia os que têm poupanças.

Definindo o grupo pela primeira vez, disse à rádio LBC: “A pessoa que tenho em mente, quando falo em trabalhadores, são pessoas que ganham a vida, dependem dos nossos serviços e não têm a capacidade de passar um cheque quando têm problemas”.

Escrevendo no Mail , o actual ministro das Finanças, Jeremy Hunt, diz que “poupadores, prestem atenção. Os trabalhistas têm-vos na mira. Se Keir Starmer entrar em Downing Street a 5 de julho, preparem-se para que os vossos impostos subam”.

Entretanto, Rishi Sunak afirmou que os conservadores farão da redução de impostos uma “missão moral” no próximo Parlamento, ao confirmar os planos de redução de impostos no valor de 17 mil milhões de libras.

A polémica fiscal surgiu no momento em que:

– Sir Keir deu a entender que teria feito parte do Governo de Jeremy Corbyn se o Partido Trabalhista tivesse ganho as últimas eleições;

– Uma grande sondagem sugeriu que os Conservadores poderiam ser reduzidos a um grupo de apenas 115 lugares;

– Keir admitiu que mais de 100.000 crianças com necessidades especiais serão afetadas pelo seu plano para impor o IVA às escolas privadas;

– O Partido Trabalhista afirmou que ordenaria ao Serviço Nacional de Saúde (NHS) que comprasse lugares nos serviços de assistência social para aliviar o bloqueio de camas nos hospitais;

– Nigel Farage ameaçou com uma ação judicial contra uma empresa contratada para avaliar os candidatos do Partido Reformista, depois de se ter descoberto que uma série de indivíduos tinham opiniões extremistas.

O manifesto do Partido Trabalhista contém propostas de aumentos de impostos no valor de 8,5 mil milhões de libras, que incidem principalmente sobre as grandes empresas, os ricos e as escolas privadas. O partido também afirmou que não irá aumentar as taxas de imposto sobre o rendimento, a Segurança Social ou o IVA.

Mas as figuras de topo recusaram-se a dizer se impostos como o imposto sobre as mais-valias, o imposto municipal e o imposto sobre os combustíveis poderiam ser aumentados – dizendo apenas que “não têm planos” para o fazer.

O Mail revela que o poderoso grupo Tribune de deputados trabalhistas elaborou, de facto, planos para uma série de aumentos de impostos no ano passado.

O grupo é o lugar para dezenas de deputados de “esquerda suave”, incluindo Keir Starmer, a secretária-sombra do Interior, Yvette Cooper, e o porta-voz dos Negócios Estrangeiros, David Lammy.

Na sua apresentação ao processo de elaboração do manifesto do Partido Trabalhista, o grupo afirmou: “Os aumentos de impostos são inevitáveis na próxima década, independentemente de quem estiver no poder, e a questão fundamental é: quem pagará?

Uma declaração de exoneração de responsabilidade dizia que as ideias “não representam posições políticas específicas” do grupo, mas são “coerentes” com os valores do partido.

Os trabalhistas rejeitaram o documento, dizendo que tinha sido rejeitado numa fase inicial

app jornal
Go to TOP
Translate »