Portugal/Eleições: PS MANTÉM CANDIDATOS E HISTÓRICOS DO PSD VOLTAM PELA AD COMO CANDIDATOS PELA EMIGRAÇÃO

O PSD apresenta-se às eleições do próximo dia 10 de março em coligação com o CDS e o PPM – fazendo regressar a AD (Aliança Democrática). Para isso, chama de volta Carlos Gonçalves e José Cesário, dois históricos do PSD ligados a longa data às comunidades portuguesas e afastados pelo anterior líder social-democrata, Rui Rio.

Assim, Carlos Gonçalves volta a ser o cabeça de lista da AD pela Europa e Luís Fraga, residente na Suíça é o número dois. De salientar que o PSD aposta em Cristina Correia, do Reino Unido, como número três e primeira suplente. No caso da AD se constituir como Governo e um dos deputados eleitos for chamado a funções governativas, teremos uma deputada pela emigração da nossa comunidade.

O PS volta a indicar para cabeça de lista na Europa Paulo Pisco, presidente da subcomissão das Diásporas da Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa. Há dois anos, o PS ganhou os únicos dois mandatos atribuídos a este círculo eleitoral.

Pelo círculo da emigração Fora da Europa, o cabeça de lista social-democrata volta a ser José Cesário. A surpresa é o número dois – Flávio Martins, luso-brasileiro. É conselheiro das comunidades portuguesas no Rio de Janeiro e ainda presidente do CCP, Conselho das Comunidades Portuguesas.

Augusto Santos Silva, que foi apoiante de José Luís Carneiro nas diretas do PS, já tinha sinalizado que queria continuar como Presidente da Assembleia da República – e para isso tem de, primeiro, ser eleito, deputado. Por isso, volta a encabeçar a lista pelo círculo Fora da Europa. Nas últimas legislativas, os dois mandatos por este círculo foram distribuídos de forma equitativa entre PS e PSD: um para cada partido.

Como dissemos, nas últimas eleições, o PSD de Rui Rio deixou cair os deputados históricos da emigração Carlos Gonçalves e José Cesário – ambos já foram secretários de Estado das Comunidades. Na altura o partido avançou com outros nomes – e apenas Maló de Abreu, agora do Chega, conseguiu ser eleito fora da Europa. Pela Europa, a candidata social-democrata há 2 anos foi Maria Ester Vagas, que não foi eleita.

As listas de deputados têm de ser entregues nos tribunais das comarcas até 29 de janeiro. A campanha eleitoral decorre entre 25 de fevereiro e 8 de março.

Human Resources
Go to TOP
Translate »