Portugal: PCP REITERA QUE AUMENTO DE PREÇOS DA ENERGIA É INACEITÁVEL E GOVERNO TEM COMPETÊNCIA PARA O IMPEDIR

O Partido Comunista Português (PCP) considerou ser “inaceitável a existência” de qualquer aumento do preço da eletricidade e que está nas mãos do Governo tomar medidas para evitar que tal aconteça, protegendo assim os consumidores.

O primeiro-ministro determinou que os serviços do Estado não podem pagar faturas da Endesa sem validação prévia pelo secretário de Estado do Ambiente e da Energia, João Galamba, depois de o presidente da empresa, Nuno Ribeiro da Silva, ter admitido aumentos de 40% na eletricidade.

Segundo um despacho assinado na segunda-feira, António Costa determina ainda que, para evitar a descontinuidade do serviço, os serviços públicos e a Entidade de Serviços Partilhados da Administração Pública (ESPAP) devem proceder a consultas de mercado, para a eventual necessidade de contratação de novos prestadores “que mantenham práticas comerciais adequadas”.

O dirigente comunista, Jorge Pires, afirma que “nada justifica” um aumento do preço da eletricidade e que o aumento dos custos de produção era produto da “especulação que aproveita a redução de oferta por efeito das sanções”.

Ofereça férias ao seus clientes

Licenciado em Comunicação e Relações Públicas - Instituto Politécnico da Guarda, Portugal. Mestre em Relações Internacionais - Universidade de Wroclaw, Polónia. [ View all posts ]

Go to TOP
Translate »