Portugal/Crise/Energia: COSTA “SENTE-SE À VONTADE PARA FAZER O QUE QUER E COMO LHE APETECE – CDS-PP

O presidente do CDS-PP, Nuno Melo, defendeu esta quarta-feira que o despacho do primeiro-ministro António Costa sobre a Endesa mostra um “estilo vingativo”, criticando o Governo por este se sentir “à vontade para fazer o que quer e como lhe apetece”.

Num comunicado, Nuno Melo sublinhou que “é possível que o presidente da Endesa tenha sido alarmista ou parcial (o tempo o dirá)” ao antecipar um aumento de cerca 40% do custo da eletricidade, defendendo que “não há um só português que conheça exatamente as contas do acordo peninsular sobre o gás e muito menos os termos comparativos da negociação entre Portugal e Espanha com a União Europeia”, acrescentando, num tom mais crítico, que “a oposição que está no parlamento nem denuncia, nem pergunta. O primeiro-ministro sente-se à vontade para fazer o que quer e como lhe apetece”.

Sobre o despacho que determina que os serviços do Estado não podem pagar faturas da Endesa sem validação prévia pelo secretário de Estado do Ambiente e da Energia, o eurodeputado do CDS-PP considerou que “este estilo vingativo não é comum nem normal na União Europeia, onde é suposto que seja o mercado a fazer as escolhas e a optar pelos melhores preços e qualidade de serviço”, acrescentando que “a partir deste gesto do primeiro-ministro, os empresários ficam a saber: ou se calam ou ‘levam’, porque quem se mete com o PS, leva”.

Nuno Melo foi ainda mais longe nas suas críticas, apontando igualmente que “Portugal tem um primeiro-ministro que com uma mão aponta empresas a dedo (GALP e Endesa) e com a outra escolhe os benefícios que dá a algumas (EFACEC)” e que “a economia começa a resvalar perigosamente para um sistema onde a arbitrariedade é regra e o medo de desagradar ao poder é frequente”.

O presidente do CDS-PP lamenta ainda que em Portugal haja “falta de uma oposição na Assembleia da República capaz de fazer a diferença que o momento impõe”.

The Lingerie Restaurant

Licenciado em Comunicação e Relações Públicas - Instituto Politécnico da Guarda, Portugal. Mestre em Relações Internacionais - Universidade de Wroclaw, Polónia. [ View all posts ]

Go to TOP
Translate »