15º Luso: INVESTIGADORES PORTUGUESES NO REINO UNIDO DEVEM CONCORRER AO PROGRAMA HORIZONTE – governo português

A ministra da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Elvira Fortunato, encorajou hoje os investigadores portugueses no Reino Unido a continuarem a usar os instrumentos de apoio à ciência europeus, apesar da incerteza criada pelo Brexit. 

“Sei bem como todo o processo de saída do Reino Unido da União Europeia vos afectou e preocupou. Mas, como sabem, o Acordo de Comércio e Cooperação com a União Europeia garante a participação em alguns programas, nomeadamente no Horizonte Europa”, disse. 

A ministra falava por videoconferência na sessão de abertura do 15.º Luso, o encontro organizado pela Associação de Investigadores e Estudantes Portugueses no Reino Unido (PARSUK), onde defendeu que a “internacionalização da ciência, da inovação e do conhecimento está também” nas mãos da diáspora. 

“Queremos reforçar a cooperação europeia nos quatro pilares do programa Horizonte Europa 2021-2027, com ênfase na participação nacional no European Research Council em projetos de investigação colaborativa, mas também nas parcerias institucionais”, vincou.

Quando negociou a saída da União Europeia (UE), o Reino Unido manteve o estatuto de membro associado ao Programa-Quadro de Investigação e Inovação Horizonte Europa, que tem uma dotação orçamental prevista de 95,5 mil milhões de euros para apoio às atividades de investigação e inovação. 

Porém, o acesso britânico ao programa tem sido atrasado devido às divergências entre Londres e Bruxelas sobre o estatuto comercial da Irlanda do Norte no pós-Brexit, pondo em risco projetos científicos e a participação britânica em consórcios de investigação. 

A Universities UK, uma entidade que representa as universidades britânicas, escreveu esta semana ao vice-presidente da Comissão Europeia, Maroš Šefčovič, alertando para o risco de o Governo britânico romper a colaboração ainda este mês devido ao impasse.

As primeiras rondas de financiamento do programa Horizonte Europa indicam  que o Reino Unido caiu de segundo participante mais frequente no Horizonte 2020 para o sétimo lugar no programa atual. 

O Luso 2022 decorre hoje no Centro Israelita em Londres e tem por tema “PARSUK para todos: unidos para o conhecimento” com o objetivo de debater papel da ciência na sociedade. 

As sessões realizam-se em redor dos pilares comunidade, cultura e comunicação. 

O presidente da PARSUK, Diogo Martins, afirmou que a “comunidade científica e académica [portuguesa no Reino Unido] está viva, é vibrante e tem vontade de dialogar, colaborar e estabelecer parcerias”. 

Fundada em 2008, a PARSUK tem atualmente 2.300 membros. 

De acordo com a Agência de Estatísticas do Ensino Superior (HESA), o número de estudantes portugueses nas universidades britânicas aumentou 122% desde os 3.805 no ano letivo 2016/17 para 8.470 em 2020/21, mas a procura terá diminuído no ano passado devido à mudança das condições de acesso e financiamento pós-Brexit. 

Human Resources
Go to TOP
Translate »