TÓQUIO2020: PORTUGAL SEM MEDALHAS MAS JÁ COM ALGUMAS DESILUSÕES

Por enquanto, a representação portuguesa ainda não conquistou qualquer medalha. Aqui ficam algumas das prestações dos nossos atletas…

TÉNIS DE MESA

O português Marcos Freitas apurou-se para os oitavos de final do torneio de singulares de ténis de mesa dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, ao vencer o austríaco Daniel Habesohn, por 4-3.

No Ginásio Metropolitano de Tóquio, Marcos Freitas, 24.º do ranking olímpico, estreou-se na prova frente ao 48.º da mesma classificação com triunfo pelos parciais de 11-7, 3-11, 11-7, 11-6, 11-13, 2-11 e 11-3, em 54 minutos.

Medalha de bronze no Europeu de 2021, Marcos Freitas cumpre a quarta participação olímpica, tendo como melhor resultado o quinto lugar no Rio2016, depois do 17.º em Pequim2008 e Londres2012.

Também o mesatenista Tiago Apolónia foi eliminado do torneio de singulares dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, ao perder, na segunda ronda, frente ao indiano Kamal Achanta por 4-2.

No Ginásio Metropolitano de Tóquio, Apolónia, 57.º do ranking olímpico, cedeu frente ao 29.º da mesma classificação pelos parciais de 11-2, 8-11, 5-11, 11-9, 6-11 e 9-11.

Tiago Apolónia tinha afastado na primeira ronda o campeão africano, o nigeriano Olajide Omotayo, 93.º, com concludente 4-0.

Em quatro presenças olímpicas, Tiago Apolónia tem três em singulares, destacando-se o 17.º lugar no Rio2016.

Na mesma modalidade, a tenista portuguesa Fu Yu apurou-se para a terceira ronda do torneio de singulares dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, ao vencer por 4-0 a indiana Sutirtha Mukherjee.

No Ginásio Metropolitano de Tóquio, Fu Yu, 55.ª do ‘ranking’ mundial, impôs-se à 100.ª da mesma classificação pelos parciais de 11-3, 11-3, 11-5 e 11-5.

Fu Yu, de 42 anos, e que entrou diretamente para a segunda ronda em Tóquio2020, foi 33.ª no Rio2016.

JUDO

A judoca portuguesa Telma Monteiro foi eliminada na segunda ronda da categoria de -57 kg dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, ao perder com a polaca Julia Kowalczyk, em combate disputado no Nippon Budokan.

Telma Monteiro, medalha de bronze no Rio2016, havia batido Kowalczyk no único combate que tinham realizado, em 2020, mas hoje perdeu já no ‘golden score’, ao somar o terceiro castigo com 9.31 minutos de combate.

A judoca lusa, de 35 anos, competia nos seus quintos Jogos Olímpicos e em Tóquio2020 repete a classificação de Pequim2008, com um nono lugar, resultante de uma vitória e uma derrota na competição.

SURF

Teresa Bonvalot foi eliminada na terceira ronda da prova de surf dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, ao perder frente à brasileira Silvana Lima, terminando a competição no nono lugar.

A surfista natural de Cascais, de 21 anos, somou 7,5 pontos (4,33 e 3,17), no sexto ‘heat’ da eliminatória, na praia de Tsurigasaki, em Chiba, contra os 12,17 (56,67 e 5,5) da brasileira, vice-campeã do mundo em 2008 e 2009, de 36 anos.

A eliminação de Teresa Bonvalot, que foi a primeira mulher a surfar uma onda em Jogos Olímpicos, deixou a representação do surf português entregue a Yolanda Sequeira, que hoje se qualificou para os quartos de final, ao vencer a francesa Johanne Defay, atual segunda classificada do circuito mundial.

Nos quartos de final, a jovem algarvia, de 23 anos, que já assegurou, pelo menos, um diploma olímpico, vai disputar a primeira bateria, diante da sul-africana Bianca Buitendag, na terça-feira, a partir das 09:24 locais (01:24 em Lisboa), na praia de Tsurigasaki, em Chiba.

Entretanto, Yolanda Sequeira qualificou-se para os quartos de final da prova de surf dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, ao vencer a francesa Johanne Defay, atual segunda classificada do circuito mundial, na terceira ronda.

A jovem algarvia, de 23 anos, conquistou 10,84 pontos (6,17 e 4,67) no segundo ‘heat’ da eliminatória, na praia de Tsurigasaki, em Chiba, contra os 9,4 (5,83 e 3,57) de Defay, assegurando, desde já, um diploma olímpico na estreia da modalidade em Jogos Olímpicos.

Nos quartos de final, Yolanda Sequeira vai disputar a primeira bateria, diante da sul-africana Bianca Buitendag, na terça-feira, a partir das 09:24 locais (01:24 em Lisboa).

TRIATLO

Os portugueses João Silva (23.º) e João Pereira (27.º) acabaram no ‘top 30’ a prova de triatlo dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, vencida pelo norueguês Kristian Blummenfelt, em 1:45.04 horas.

Na Odaiba Marine Park, João Silva, de 32 anos, concluiu os 1.500 metros a nadar, 40 quilómetros a pedalar e 20 a correr a 2.26 minutos do novo campeão olímpico, depois de ter sido nono em Londres2012 e 35.º no Rio2016.

João Pereira, de 33 anos, que tinha sido quinto nos últimos Jogos Olímpicos, terminou a prova no 27.º posto, a 2.29 minutos do vencedor.

Blummenfelt, que sucedeu ao britânico Alistair Brownlee, isolou-se na última volta da corrida e concluiu a prova em menos 11 segundos do que o britânico Alex Yee, segundo classificado, e menos 20 do que o neozelandês Hayden Wilde, terceiro.

GINÁSTICA ARTÍSTICA

Filipa Martins (foto) terminou a participação nos Jogos Olímpicos sem conseguir atingir qualquer final na ginástica artística, apesar do bom desempenho em Tóquio2020.

O ‘all around’, a ginasta portuense, que tinha sido 37.ª no Rio2016, o melhor resultado luso de sempre na prova, foi agora 43.ª colocada, com 52.298 pontos, com a última apurada para as 24 finalistas a ser a 31.ª, a alemã Kim Bui, com 53.398 pontos.

Nas paralelas assimétricas, nas quais criou o ‘movimento Martins’, Filipa foi 17.ª classificada, com 14.300 pontos, sendo a multicampeã olímpica Simone Biles, 10ª, a garantir a oitava vaga, com 14.566.

Nas outras três provas, mais distante da qualificação, nomeadamente na trave, em que, com uma queda antes da saída, se ficou pelo 69.º posto, com 11.886 pontos, e no solo, ao ser 46.ª, com 12.666, enquanto no cavalo somou 13.466 pontos, com a qualificação fixada nos 14.616 pontos.

EQUITAÇÃO

A equipa portuguesa qualificou-se para a final de Ensino de equestre dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, assim como Rodrigo Torres, na prova individual.

Numa disciplina em que Portugal conquistou uma medalha de bronze em Londres1948, a equipa portuguesa volta a marcar presença numa final, depois de Helsínquia1952, graças a Maria Caetano, Rodrigo Torres e João Miguel Torrão, que conseguiram um dos oito lugares na final, com a marca de 68,89.

Na prova individual, Rodrigo Torres conseguiu ser um dos seis repescados para a final, depois de no sábado ter conseguido uma pontuação de 72,624, garantindo igualar, pelo menos, o 16.º lugar de Gonçalo Conchinhas Carvalho em Londres2012, na última participação portuguesa nesta disciplina.

A final coletiva (Grand Prix Special) está marcada para amanhã, um dia antes da individual (Grand Prix Freestyle).

www.cgd.pt
Go to TOP
Translate »