BRUXELAS QUER IMPLEMENTAR SISTEMA DE VIAGEM PARA UE SEM TESTES COVID-19

A União Europeia aprovou em princípio um sistema de passaporte (certificados) de vacinas que permitirá aos turistas visitar os países membros sem a necessidade da apresentação de um teste negativo ou quarentena à chegada a um país membro, desde que tenham recebido a dose final de uma vacina aprovada pela UE duas semanas antes da data de viagem.

O plano – que não é obrigatório e precisa ser ratificado pelo Conselho da UE – significaria que viajantes vacinados seriam permitidos entrar no bloco, independentemente da sua origem.

Também seria efectuada uma ‘lista verde’ de países seguros, com os viajantes dessas nações autorizados a entrar mesmo que não tenham sido vacinados – embora um teste PCR negativo ou evidência de infecção anterior sejam necessários.

O critério para fazer a ‘lista segura’ seria uma taxa de infecção de menos de 75 casos de Covid por 100.000 habitantes.

Actualmente, o Reino Unido – com 44 casos por 100.000 e os EUA com 35 casos por 100.000 – estariam qualificados.

Até que um passaporte (certificado) de vacina digital uniforme dentro da UE seja estabelecido, o projeto de lei diz que os países devem ser capazes de ‘aceitar certificados de países não pertencentes à UE com base na legislação nacional’. No caso do Reino Unido, acredita-se que o aplicativo do NHS forneça o nível de prova necessário.

No entanto, o bloco também terá o recurso ao ‘travão de emergência’ para evitar o influxo de ‘variantes preocupantes’, independentemente da taxa de infecção do país.

O continente só aceitará aqueles que receberam uma vacina aprovada pela UE: Pfizer, Moderna, AstraZeneca e Johnson & Johnson.

Todas as três vacinas usadas no Reino Unido – Pfizer, AstraZeneca e Moderna – são cobertas, assim como as usadas nos EUA – Pfizer, Moderna e Johnson & Johnson.

Go to TOP
Translate »