GUARDIOLA AVISA QUE “A UEFA E A FIFA ESTÃO A MATAR OS JOGADORES”

O treinador do Manchester City sente-se revoltado com o “congestionamento” do calendário em ano de pandemia.

O Manchester City reforçou, este domingo, a liderança isolada da Premier League, ao bater o Leicester City, por 2-0. No entanto, após o apito final no King Power Stadium, Pep Guardiola não se mostrou, propriamente, satisfeito com uma questão em particular.

O treinador dos citizens marcou presença na habitual conferência de imprensa, na qual se mostrou agastado com o “congestionamento” do calendário desportivo num ano marcado pela pandemia.

“A UEFA e a FIFA matam os jogadores, e é demais. Não tivemos uma semana de folga desde que começámos. Eles são seres humanos, não são máquinas”, começou por dizer o técnico catalão, em declarações reproduzidas pelo jornal britânico Mirror.

“A razão pela qual faço uma rotação de seis ou sete jogadores em cada jogo é porque todos estão aptos e temos um plantel incrível, pelo que não os deixo jogar tanto quanto possível. Alguns querem jogar sempre, mas é impossível”, prosseguiu.

“Neste ano, sem espectadores, com a competição mais curta de sempre… Começámos mais tarde e acabamos mais cedo. Por isso, se não rodares, não consegues vencer todas as provas. Não consegues estar na posição em que estamos agora”, rematou.

Go to TOP
Translate »