Escócia: COMISSÃO PARLAMENTAR CONCLUI QUE STURGEON MENTIU MAS SOBREVIVE EXONERAÇÃO

Uma comissão do Parlamento escocês que investigou como foram geridas as alegações de assédio sexual contra o antigo chefe do governo da região Alex Salmond confirmou hoje ter concluído que a sucessora, Nicola Sturgeon, “mentiu” durante as investigações.

O resultado do inquérito da comissão, composta por quatro membros do Partido Nacionalista Escocês (SNP) e cinco de formações da oposição, já tinha sido alvo de uma fuga de informação na semana passada, o que levou Sturgeon a qualificar a conclusão de “partidária”.

Ao publicar oficialmente o documento hoje, a comissão observa que Sturgeon “mentiu” ao Parlamento quando testemunhou sobre uma reunião que teve com Salmond em 02 de Abril de 2018 na sua casa particular em Glasgow.

A Comissão inclui quatro deputados do Partido Nacionalista Escocês (SNP), dois do Partido Conservador, um do Partido Trabalhista, um Liberal Democrata e o independente Andy Wightman, tendo a oposição votado em bloco.

Os deputados do SNP que são membros desta comissão rejeitaram estas conclusões, que contrariam uma investigação independente do ex-procurador-geral da Irlanda, James Hamilton, publicada na véspera. 

Hamilton concluiu que Sturgeon não violou as normas de conduta que regem o governo autónomo da Escócia (Código Ministerial) no tratamento das queixas contra Salmond.

A chefe do governo escocês, que tem uma minoria simples no Parlamento autónomo, deve sobreviver a esta moção com o apoio dos seus aliados no Partido Verde.

Salmond foi absolvido de 13 crimes sexuais em 2020, enquanto o Governo escocês foi condenado a indemnizá-lo em 555.000 euros por não ter cumprido os procedimentos legais na investigação interna de duas dessas queixas.

Sondagens recentes indicam que a popularidade do SNP foi afectada, pondo em causa uma maioria absoluta nas eleições regionais de 06 de Maio e também o apoio a um segundo referendo à independência, que estava em crescimento. 

Programa Nacional de Apoio ao Investimento da Diáspora (PNAID)
Go to TOP
Translate »