Covid-19: BORIS JOHNSON NÃO CEDE À ABERTURA DAS ESCOLAS ANTES DE 8 DE MARÇO

Boris Johnson recusa-se a ceder à crescente pressão de deputados conservadores, para antecipar a reabertura das escolas na Inglaterra. O PM diz “manter” a data de 8 de Março, no mínimo, para um retorno às salas de aulas.

Johnson advertiu que a reabertura das escolas muito cedo poderia forçar o país a ‘retroceder’ e ameaçar o progresso da luta contra o coronavírus feito durante o bloqueio.

Acrescentou que sua data de 8 de Março representa a “abordagem prudente e cautelosa” e que não  pretende desviar-se dela.

Hoje Nicola Sturgeon levantou pressão no PM, ao anunciar que os alunos na Escócia começarão a voltar às aulas a partir de 22 de Fevereiro.

Hoje também, os conservadores mais seniores aproveitaram as boas notícias vindas  da vacina AstraZeneca, para exigir que o país voltasse a funcionar mais rápido, e reduzisse os enormes prejuízos causados pelo confinamento à educação das crianças e à economia.

Mark Harper, presidente do céptico ‘Covid Recovery Group’ de deputados conservadores, assinala a data de Sturgeon para a reabertura das escolas e questiona a Inglaterra por não fazer o mesmo.

‘O PM disse na semana passada que reabrir escolas era uma’ ‘prioridade nacional’, disse Harper.

No entanto, fontes governamentais contestam a ideia de que o cronograma possa ser acelerado, com os níveis de casos ainda altos e os temores sobre as novas estirpes.

“Deve ser 8 de Março, sem alterações”, disse um deles.

Johnson repetiu o mesmo sentimento na conferência de imprensa em Downing Street esta noite, e acrescentou que antes ‘temos que fazer um julgamento sobre a eficácia das vacinas em reduzir a taxa de mortalidade e as estirpes mais graves”.

Settled status

Comments

be the first to comment on this article

Deixe o seu comentário:

Go to TOP
Translate »