Brexit: NOVOS CUSTOS DE DESPACHOS AFECTAM TODAS AS ENCOMENDAS  DA EUROPA

A partir da saída definitiva do Reino Unido da União Europeia, todas as encomendas provenientes do UE para o Reino Unido precisam de preencher formulários de declaração alfandegária. Apesar da livre circulação de produtos, os compradores podem ter que pagar taxas alfandegárias ou o IVA, dependendo do valor do produto e da sua origem.

No entanto, as taxas alfandegárias são da responsabilidade do cliente, não do comerciante, que muitas vezes não tem ideia de quanto pode ser o eventual custo extra.

Os custos não podem ser pagos antecipadamente e, por isso, são cobrados quando o artigo chega ao Reino Unido.

Um cliente insatisfeito, Graeme de Manchester, explicou à BBC que pagou £300 para comprar dois pares de botas de camurça de Inverno de uma empresa alemã online. Neste valor incluía o pagamento de £147 de custos de importação e o valor das botas.

Sob as novas regras, qualquer pessoa no Reino Unido que receba um presente da UE no valor de mais de £39 pode agora ter de pagar o IVA de importação – normalmente ao valor de 20%.

Nas mercadorias que custam mais de £135, podem ser aplicadas taxas alfandegárias, que variam de 0% a 25% do valor do produto que está a comprar, se ainda não tiver sido pago pelo remetente.

As taxas extras são geralmente cobradas pelo correio em nome do governo, com os clientes a serem solicitados a pagar antes de receber o pacote.

Alguns comerciantes europeus especializados, como a empresa de peças de bicicletas Dutch Bike Bits e a Beer On Web, com sede na Bélgica, disseram recentemente que interromperiam todas as entregas para o Reino Unido por causa das alterações do IVA, que entrou em vigor no dia 1 de Janeiro.

Algumas empresas começaram a cobrar “taxas de maneio” adicionais aos clientes para cobrir os custos associados a verificações alfandegárias extras e papelada que deve ser preenchida.

O Royal Mail, por exemplo, está a cobrar uma taxa de £8 que diz “reflectir o custo de despacho de produtos na alfândega e a apresentação dos mesmos à Polícia de Fronteira”.

Enquanto isso, a empresa de entregas DHL afirma que está a cobrar, aos clientes no Reino Unido, 2,5% do valor de factura para o despacho alfandegário, com uma cobrança mínima de £11.

A empresa de correio e fretes TNT também está adiciona £4,31 a todas as remessas do Reino Unido para a UE e vice-versa. A empresa diz que isso reflecte o aumento do investimento que teve de fazer para ajustar os seus sistemas face ao Brexit.

Uma porta-voz da Logistics UK disse à BBC que as taxas de despacho eram “uma decisão de cada empresa comercial”.

Mas Michelle Dale, director-geral da empresa de contabilidade UHY Hacker Young, diz que as novas cobranças podem representar um grande problema para as empresas nas próximas semanas.

“Acho que o que vamos descobrir é que muito comércio com a UE, numa perspectiva business-to-customer, será interrompida até que algumas dessas regras sejam amenizadas”, disse ela.

“Eu não tinha ideia de que seria cobrado mais por entregas após o Brexit. Os custos extras foram definitivamente um choque.”

Comments

be the first to comment on this article

Deixe o seu comentário:

Go to TOP
Translate »