OS TESTES DA TRETA

por DANIEL SANTOS
1 Novembro 2020

Lá venho eu outra vez expelir o meu ódio sobre a criatura… mas o que é que querem, não fico indiferente (fui educado assim) às afirmações, comportamentos, mentiras ou aldrabices de certas pessoas a quem outras certas pessoas dão demasiada importância, umas invejosas com a extravagante riqueza diariamente ostentada, outras simplesmente desagradadas com a arrogância, a ausência de princípios e a idiotice descarada com que orgulhosamente se fazem passar pelo ridículo!

É óbvio – os meus queridos amigos já o perceberam, os meus queridos inimigos também já o entenderam – que me refiro ao lusitano Viriato da bola, ao imbatível conquistador de campeonatos, de bolas de ouro e de Berlim, ao bravíssimo Sertório que, depois de vencer tudo o que havia para vencer, ainda teve tempo de ir derrotando uns generais romanos que lhe foram aparecendo pelo caminho… É claro, claríssimo, que me refiro a Cristiano Ronaldo, o pai nosso (salvo seja) de milhões de portugueses e estrangeiros, o sonho húmido de muitas meninas, de algumas balzaquianas e de um sem número de sopeiras que se dedicam agora a saber as novas do rique filhe madeirense e da sua patética família, sempre empenhada em mostrar as belas mamacocas da Georgina e a tentar impingir-nos as bananas e os óculos que Dona Dolores publicita – por esquecimento omiti a importância do Cristianinho, promissor futebolista que já tem o Jorge Mendes à perna, de pequenino se torce o menino, não é?

Percebo que a malta anda nervosa, descontente e completamente baralhada, com a máscara cumprimentamos quem nunca vimos mais gordos ou mais magros, sem a máscara corremos o risco de ser invadidos por esse monstro feio e redondo ou de ser multados por um GNR de bigode farfalhudo, temos de andar com uma fita métrica no bolso para medir recomendadíssima distância a manter, não há beijos nem abraços, tão pouco um chi-coração para nos alegrar o dito – e por perceber tudo isto, e muito mais que não vale a pena referir, é que me sinto ofendido, zangado e envergonhado de ser português depois de ler o que o herói nacional CR7 escreveu no instagram!

É tempo de nos deixarmos de brincadeiras! O  (ou a) covid-19, sabe-se agora, ataca todos: jovens, menos jovens, adultos, velhos, múmias ou ossadas, pobres, remediados, ricos, riquíssimos, marrecos, coxos, cegos, paralíticos, advogados, médicos, políticos, cientistas, inteligentes, jogadores de futebol  ou idiotas – e é precisamente aqui que entra o nosso/vosso querido Ronaldo, que anunciou, com aquele sorriso que ele pensa ser fotogénico mas é apenas idiota, que “os testes do covid são uma treta” (ver foto)! Assintomático e estúpido como é, Ronaldo ignorou que é seguido por milhões de fãs nas redes sociais de que abusa e usa em proveito próprio – que exemplo estará este parvalhão a dar aos miúdos (e a muitos adultos) que o imitam, que lhe copiam o corte de cabelo, que lhe compram as camisolas, que o adoram, que o idolatram, que querem ser como ele? É óbvio que, para toda essa gente que eu considero anormal, a verdade do Ronaldo prevalecerá, que se lixe a covid, ainda há bocado vimos o melhor do mundo a pedalar no ginásio, sorridente, cheio de saúde e a fazer fosquinhas para as câmaras… não, não pode ser, o Ronaldo jamais apanharia a covid-19… nem a 20… muito menos a 21! O Ronaldo é eterno e indestrutível, esses gajos que andam a matar os cornos (e a vida) nos livros, nos laboratórios, nos hospitais, nos lares, não percebem nada disso, o Ronaldo é que sabe!

Ficaram agora a saber porque embirro com ele? Porque é um imbecil, um inculto, um vaidoso, um narcisista e um arrogante. Porque Ronaldo é um perigo!!!

À margem. Repararam que a notícia passou – onde passou – envergonhada e tratada como se fosse uma coisa sem importância, apenas uma piadinha do melhor do mundo? E numa altura destas em que andamos todos com o credo na boca, porque não é este ídolo do futebol também criticado, inclusivamente pelo Costa, pelo Marcelo e pela Temido? Será que todos temem o menino? Ai… se fosse o Trump ou o Ventura a escreverem tal enormidade, teríamos fóruns, colóquios, manifestações… enfim, Portugal jamais seria o mesmo – mas como foi o Ronaldo, tudo bem… siga a Marinha!!!

Comments

be the first to comment on this article

Deixe o seu comentário:

Go to TOP
Translate »