TRATAMENTOS DIFERENTES PARA A PANDEMIA

por DANIEL SANTOS
15 Setembro 2020

Não há jornal televisivo, ou de papel, ou digital, que diariamente não gaste, pelo menos, cinco a dez minutos, meias páginas ou páginas inteiras com ferozes ataques aos odiados Trump e Bolsonaro, líderes democraticamente escolhidos pelos seus povos mas que a comunicação social portuguesa teima em denegrir, passando uma espécie de atestado de ignorância, ou estupidez, aos milhões de norte-americanos e brasileiros que os levaram ao poder – curiosamente, ou talvez não, não se ouve um pio em relação a Maduro, a Lukashenko, a Xi Jinping ou a outros “democratas” que paulatinamente vão cometendo as maiores tropelias contra os seus povos, contra a Democracia… ou, até, contra a Humanidade.

Neste contexto de pandemia em que todos estamos desgraçadamente envolvidos, as críticas a Trump e Bolsonaro chegam a roçar o ridículo – ou porque Trump falou sem máscara, ou porque Bolsonaro espirrou sem a dita, ou porque Trump fez um comício em que as pessoas não estavam à distância devida, ou porque Bolsonaro apertou a mão a meia dúzia de apoiantes, enfim… um dia destes ainda veremos a nossa comunicação social a acusá-los de comerem e beberem sem máscara! E, por falar em comer, lembram-se do nosso querido Presidente da República andar a dividir bolas de Berlim com a criançada? Pois…

A pandemia, nos nossos jornais, revistas e televisões, parece ser tratada de forma diferente consoante o país de que se fala ou escreve. Embora o “bicho” seja o mesmo, é um facto que nem todos os países terão reagido da melhor maneira à propagação do mesmo. Na verdade, importa reconhecê-lo, tanto Trump como Bolsonaro terão relativizado as medidas a tomar perante a ameaça deste vírus mortal… mas, infelizmente, não foram os únicos a fazê-lo, também a Holanda e a Suécia o fizeram – e não me lembro de ter lido ou ouvido quaisquer ataques cerrados às cúpulas destes dois países, como se sabe muito amados pela nossa esquerda devido às posições “progressistas” que tomam em relação às mais variadas matérias.

A Holanda recusa exigir o uso de máscaras faciais e a Suécia diz que as mesmas são inúteis e que os humanos são livres de as adoptar ou recusar! Contrariando todas as disposições e obrigações impostas pela Organização Mundial da Saúde, holandeses e suecos lá vão, cantando e rindo, sem o incomodativo artefacto a embargar-lhes a voz e o sorriso, indiferentes ao contágio e às mortes que a pandemia tem provocado – a Suécia viu-se obrigada a implementar as medidas que não queria e que não tomou de início, tarde terá chegado à conclusão de que o vírus também ataca as gentes altas e louras daquelas paragens.

Que críticas, que reparos, que condenações sofreram a Suécia e a Holanda por parte da nossa comunicação social? Poucas, ou nenhumas, certamente – entretidos a desancar no Trump, no Bolsonaro (e no André Ventura), os nossos jornalistas, “opinadores” e comentadores não tiveram tempo, vontade ou honestidade para alertar que nem tudo ia bem nos reinos da Suécia e da Holanda, o Trump e o Bolsonaro já lhes dão trabalho que chegue!

 

Comments

be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP
Translate »