BARRETE ENCARNADO

 

por DANIEL SANTOS
7 Setembro 2020

“Nos últimos seis anos, as despesas com a Festa têm ultrapassado em larga escala as receitas obtidas. De acordo com os dados fornecidos pelo PCP à Entidade das Contas e Financiamentos Políticos (ECFP), o pior resultado dos últimos 15 anos foi justamente em 2019. Em véspera de eleições legislativas, aquele que devia ter sido um balão de oxigénio para a campanha partidária comunista acabou por trazer um prejuízo de 564 mil euros aos cofres do PCP.”

In Publico, 5/9/2020

Atendendo a esta notícia, é muito provável que a Festa do Avante! deste ano bata todos os recordes no que diz respeito ao eventual prejuízo do evento. Quem espreitou os directos que as televisões dedicaram à festa comunista, certamente se terá apercebido do pouco movimento que ali se registava, com uma assistência notoriamente menor do que em anteriores edições.

É caso para afirmar, com alguma propriedade, que até os comunistas viraram costas à sua festa – à irredutibilidade do PCP em organizar o evento numa altura em que a pandemia da covid-19 cria justificados receios e temores, responderam as pessoas mais avisadas com a sua ausência… e a festa, como todos vimos, foi tristonha, vazia, um autêntico barrete encarnado enfiado na teimosa cabeça de Jerónimo de Sousa e seus pares radicais!

Mesmo assim, e apesar do evidente fiasco registado na Atalia, há quem queira tapar o sol com uma peneira desviando as atenções para a capacidade organizativa do PCP, elogiando a forma como os comunistas se portaram durante os três dias da triste festa – tal não admira, as polémicas levantadas quanto à sua realização levaram a que todo o País, e o mundo, estivessem bem atentos ao que ali se passava, os comunistas sabiam bem que não poderiam pôr o pé em ramo verde, havia demasiados olhos atentos a todos os procedimentos, às eventuais infracções que poderiam ocorrer.

Finalmente acabou a festa, com o habitual e cansativo discurso de Jerónimo de Sousa – a mesma cassete, os mesmos ataques, a mesma ira, a mesma espuma nos cantos da boca, o mesmíssimo punho ameaçador levantado. Desta vez, porém, a dissertação alongou-se por uns intermináveis 45 minutos, havia a imperiosa necessidade de o PCP fazer a sua prova de vida, já que a festa, essa, foi um autêntico barrete, mais pareceu o enterro do partido!

 

Comments

be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP
Translate »