DESEMPREGO NOS EUA DESCE PARA A TAXA MAIS BAIXA DOS ÚLTIMOS 2 MESES

O número de americanos a pedir subsídio de desemprego desceu surpreendentemente na semana passada, quando em meados de Julho foi comunicado que 31,3 milhões de pessoas estavam a receber apoio, sugerindo que o mercado de trabalho estava parado e o país lutava contra o ressurgimento de novos casos de COVID-19, que ameaçavam a recuperação económica da crise originada pela pandemia.

Apesar dos bons resultados agora publicados, outros dados divulgados hoje mostraram um aumento de 54% nos cortes de empregos em Julho. Os relatórios seguiram-se às notícias desta semana sobre uma queda acentuada nos ordenados do sector privado em Julho e o declínio contínuo do emprego nas indústrias de manufacturarão e serviços.

No entanto esta semana, os pedidos de subsídios de desemprego estadual caíram 249.000 para 1,186 milhão com ajuste sazonal na semana encerrada no 1º de Agosto, informou hoje o Departamento do Trabalho norte-americano. Este foi o resultado mais baixo desde meados de Março, mas continuam acima do pico de 695.000 durante a Grande Recessão de 2007-2009.

Já o número de pedidos que continuam activos baixou em 844 mil pessoas, para 16,1 milhões, na semana terminada em 25 de Julho, abaixo das projecções dos analistas da Bloomberg, que apontavam para 16,9 milhões de beneficiários.

A descida nos pedidos continuados foi a mais baixa em quase dois meses, de acordo com a agência financeira norte-americana.

Comments

be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP
Translate »