Covid-19: PORTUGUESES NÃO RESIDENTES SÓ PRECISARÃO DE TESTE CASO APRESENTEM SINTOMAS À CHEGADA A PORTUGAL

Lisboa, 06 jul 2020 – Uma notícia saída na imprensa portuguesa causou grande confusão na comunidade portuguesa residente no Reino Unido, pela razão de que muitos interpretaram que têm de apresentar um teste do coronavírus negativo, tirado no Reino Unido, antes de embarcarem, à chegada a Portugal.

Mas não é totalmente assim. Os cidadãos portugueses e os estrangeiros com residência em Portugal, serão submetidos a medição da temperatura e, caso se justifique, submetidos a testes no aeroporto, podendo sair das instalações depois de disponibilizarem os dados de contacto, mas ficam obrigados a permanecer confinados nos seus destinos de residência até receberem os resultados do teste molecular RT-PCR, seguindo as orientações da Direção-Geral da Saúde. Teste que pode custar 200€.

O despacho aplica-se aos aeroportos portugueses geridos pela ANA, S. A., com excepção dos aeroportos da Madeira e dos Açores, e entrou em vigor no sábado, devendo o serviço de testes à chegada nos aeroportos ser disponibilizado “logo que possível”.

Mas só se aplica aos portugueses sem residência em Portugal que apresentem à chegada a Portugal temperatura ou sintomas do vírus. Doutra maneira, estão livres para seguir viagem.

Agora os cidadãos não portugueses ou estrangeiros sem residência em Portugal que não tenham teste negativo à covid-19 à chegada têm de o fazer no aeroporto, pagar e a companhia que os transportou será multada em 1.000 euros/passageiro.

Segundo um despacho publicado no Diário da República que determina a realização de controlo de temperatura e de testes à COVID-19 nos aeroportos, estas circunstâncias aplicam-se a voos a partir de origens identificadas como de risco epidemiológico pela Direcção-Geral da Saúde e a partir dos países de língua oficial portuguesa e dos Estados Unidos.

Claro que neste caso os luso-descendentes que não tenham nacionalidade portuguesa podem ser obrigados ao teste à chegada. Uma determinação confusa e complicada e que poderá criar alguns dissabores a algumas famílias portuguesas.

Já contactámos as autoridades e esperamos amanhã poder responder a esta questão dos luso-descendentes sem nacionalidade portuguesa.

Na passada sexta-feira, a ministra da Saúde revelou que nas anteriores 24 horas tinham sido feitos 200 testes à covid-19 a passageiros no Aeroporto de Lisboa provenientes do Brasil, Estados Unidos e Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP).

Comments

be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP
Translate »