CAOS E PANDEMÓNIO COM A CORRIDA ÀS PRAIAS DO PÚBLICO EM ESQUEMA DE LICENÇAS DE TRABALHO

Londres, 25 jun 2020 – Naquele que pode vir a ser o dia mais quente do ano e numa semana com temperaturas de verão, as enchentes nas praias e as festas de rua foram uma constante, elevando os perigos de contágio para um patamar tal, que as autoridades da cidade costeira de Bournemouth, no sul da Inglaterra, declararam uma situação de emergência, devido ao comportamento de milhares de pessoas nas praias locais, que desafiaram as regras de distanciamento social relacionadas com a pandemia da covid-19. 

A polícia pediu desesperadamente que as pessoas ‘ficassem longe’ e ‘pensassem duas vezes antes de ir para a área’, enquanto Bournemouth, Christchurch e Poole Council disseram que 558 multas foram aplicadas – a mais alta taxa de emissões registada até à data.

Hoje, 33 toneladas de lixo foram removidas das praias e houve acampamentos ilegais, comportamentos anti-sociais – incluindo brigas entre bêbados e banhistas – e engarrafamentos nas estradas.

Os detectives revelaram que se instalou o caos total causado por um “volume significativo de pessoas a caminho da área”, destacando que algumas pessoas ansiosas por assegurar um bom lugar acamparam durante a noite na praia. As câmaras de Bournemouth, Christchurch e Poole informaram que os serviços estavam “completamente sobrecarregados”, porque grandes multidões de visitantes desafiam as sugestões para não viajarem para a região.

As fotografias chocantes provocaram a fúria, face à falta de distanciamento social em praias lotadas, aumentando a fácil possibilidade de propagação do vírus.

O assessor médico do Governo, Chris Whitty, alertou hoje que os casos de Covid-19 vão “ressuscitar” se os britânicos não seguirem as orientações sociais de distanciamento e pediu aos amantes do sol que aproveitem o clima “de uma maneira que seja segura para todos”.

Enquanto isso, as redes sociais enchem-se de críticas e pedidos para que o esquema de licenças acabe de imediato, no qual o Estado paga 80% dos salários, mas que está apenas a empurrar os 7,5 milhões de trabalhadores beneficiários para as praias do litoral.

A líder da união municipal de Bournemouth, Christchurch e Poole, Vikki Slade, disse estar “absolutamente horrorizada” com as cenas observadas nas praias, principalmente em Bournemouth e Sandbanks nos últimos dois dias, onde afluíram milhares de pessoas para aproveitar a onda de calor. 

O Reino Unido registou esta semana vários dias de sol e temperaturas elevadas, hoje com o dia mais quente do ano, segundo o instituto de meteorologia Met Office, ao registar 33,3 graus centígrados em Londres. 

A declaração de um “incidente grave” dá poderes adicionais às autoridades locais e serviços de emergência para resolver os problemas como o estacionamento ilegal, excesso de lixo, comportamento anti-social, engarrafamentos nas estradas e acampamento ilícito.

Slade disse que os serviços estavam “completamente sobrecarregados” e que teve de mobilizar patrulhas policiais adicionais para proteger a recolha de lixo que terão enfrentado “abuso e intimidação generalizados”.

O comandante adjunto da polícia de Dorset, Sam de Reya, urgiu as pessoas a evitarem a região.

Na terça-feira, o primeiro-ministro Boris Johnson anunciou o levantamento de várias restrições a partir de 04 de julho, autorizando a reabertura de bares e restaurantes e a redução da regra de distanciamento social de dois metros para um metro ou mais, uma medida destinada a facilitar o funcionamento de certos negócios. 

O anúncio recebeu algumas críticas porque o Reino Unido continua a registar centenas de novas infecções e mortes diariamente, tendo o cientista Stephen Reicher alertado, num artigo publicado pelo jornal The Guardian, que as novas regras poderão levar a maiores comportamentos de risco. 

Comments

be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP
Translate »