ANDRÉ VENTURA DIZ QUE PATRIMÓNIO CULTURAL TEM DE SER PROTEGIDO A “BEM OU A MAL” 

Ribeira Grande, Açores, 12 jun 2020 – O deputado único do Chega defendeu hoje que o património cultural de Portugal tem de ser protegido “a bem ou a mal”, e o Governo deve dar respostas sobre medidas de protecção das obras.

“Temos de ter uma força de segurança capaz de dizer a estas pessoas que (…) a ordem pública tem de lutar pela defesa do nosso património. Ou então começamos a perder tudo. Temos de por um travão a isto. E se não vai a bem, vai ter de ir a mal. E espero que não tenhamos de chegar à solução de ir a mal, mas a ordem pública, as autoridades, estão lá para isso”, disse hoje André Ventura.

O deputado falava na Ribeira Grande, após um encontro com o presidente da Associação Agrícola de São Miguel, e falava da pergunta feita hoje pelo Chega ao Governo sobre que medidas prevê para “reprimir e prevenir” actos de vandalismo a estátuas e monumentos, questionando se está disponível para criar uma “equipa policial especial” para lidar com este fenómeno.

Numa pergunta hoje entregue no parlamento, e dirigida aos gabinetes do primeiro-ministro e do ministro da Administração Interna, André Ventura, que é também líder demissionário do Chega, refere que se sucedem “os casos de ameaças e efectivo vandalismo a estátuas, monumentos e locais de elevada simbologia histórica e cultural”, sem se referir em concreto à vandalização da estátua do padre António Vieira, em Lisboa, pintada com a palavra “coloniza”, em tinta vermelha.

“Inspirados em movimentos internacionais completamente alheios à realidade portuguesa, alguns grupos de activismo fanático ou pura e simplesmente marginais, insistem num ataque sem precedentes à nossa memória colectiva, perpetrando acções vergonhosas contra a nossa história, para além dos avultados prejuízos materiais”, refere Ventura no texto.

Instalada no Largo Trindade Coelho, próximo da zona do Bairro Alto, a instalação da estátua do padre António Vieira resultou de uma parceria entre a Câmara Municipal de Lisboa e a Santa Casa da Misericórdia, cuja sede se localiza naquele largo.

No dia da inauguração, a 22 de Junho de 2017, o presidente da câmara, Fernando Medina, disse tratar-se de uma homenagem fundamental a “uma das maiores personalidades do pensamento” português até agora sem “a devida expressão de reconhecimento” na cidade.

No seguimento a morte do norte-americano George Floyd e das manifestações que se lhe seguiram, vários monumentos têm sido vandalisados e derrubados em cidades dos Estados Unidos, mas também na Europa, por serem associados ao racismo e a períodos da escravatura por alguns movimentos.

De visita aos Açores até domingo, André Ventura, que é também candidato às presidenciais de 2021, abordou as regionais que devem acontecer em Outubro, sendo que no sábado o Chega fará a sua I convenção regional onde elegerá os seus órgãos directivos.

“Os Açores têm ajudado muito o Chega”, considerou o parlamentar, antes de sinalizar que “a esquerda” tem aprovado orçamentos do Estado que têm deixado a região “mais marginalizada”.

Comments

be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP
Translate »