Covid-19 UK: SERÁ PARA HOJE A DECISÃO DO APOIO AOS TRABALHADORES POR CONTA PRÓPRIA?

Ontem no Parlamento, durante as “perguntas ao primeiro-ministro”, Boris Johnson teve grande dificuldade em explicar qual a estratégia do Governo para auxiliar os trabalhadores independentes (self-employed) a vencer a crise do Coronavírus. Acrescentou, no entanto, que o seu gabinete está a trabalhar para resolver o assunto “o mais rápido possível”, apesar das pressões dos deputados para desanuviar os bloqueios financeiros que estes trabalhadores estão a passar por estarem impedidos de trabalhar.

Alguns deputados estavam esperançados que o ministro das finanças, Rishi Sunak, pudesse finalmente revelar um pacote de apoio, durante a conferência de imprensa diária do Governo hoje, e espuculava-se que estes trabalhadores por conta própria poderiam receber uma solução parecida com a dos trabalhadores por conta de outrem, anunciada na passada semana. No entanto, muitos dos parlamentares julgam que a ajuda já vem muito tarde para muitos que já não puderam pagar contas essenciais.

Por outro lado, Johnson foi criticado pelos quase meio milhão de pedidos de benefícios recebidos nos últimos nove dias pela segurança social. Foram anunciados que foram “processados” cerca de 477.000 pedidos de apoio, desde terça-feira passada, com 105.000 feitas ontem para o Universal Credit, entupindo por completo aqueles serviços, cuja pressão e volume sem precedentes de novos pedidos de ajuda, levará a grandes atrasos.

O site do departamento, Understanding Universal Credit, recebeu aproximadamente 200.000 acessos na semana passada, já que muitos na economia do ‘show’ e freelancers perceberam que sua renda seria reduzida pelos esforços desesperados para conter o coronavírus.

No entanto a secretária do Trabalho e Pensões, Therese Coffey, explicou que foram alocados fundos extras e direccionados para um programa de verificação online, enquanto a equipe também fará chamadas para verificar as reivindicações das pessoas. A seu ver o fluxo de entradas está controlado.

Coffey disse ao Comité Parlamentar para o Trabalho e Pensões  que ‘quer tranquilizar as pessoas que requereram ajudas, mesmo que, actualmente, não estejam ao nível de que gostariam, acabarão por receber da rede de segurança do estado e de bem-estar social a ajuda prometida’.

Comments

be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP
Translate »