PRESIDENTE DO COLISEU DO PORTO DEIXA CARGO POR “DIGNIDADE E CONFIANÇA”

O presidente da Associação dos Amigos do Coliseu do Porto alegou razões de “dignidade e confiança” para renunciar ao cargo que ocupa desde 2014 e quer abandonar em Abril, após ter sabido da sua substituição pela comunicação social.

Num email a que a Lusa teve hoje acesso, o representante da Área Metropolitana do Porto (AMP) na Direcção da Associação dos Amigos do Coliseu, Eduardo Paz Barroso, que se encontra a cumprir o segundo mandato, refere ter solicitado à AMP a confirmação dessa notícia e indicações sobre a operacionalização da anunciada alteração de representante.

No dia 28 de Fevereiro, a AMP aprovou, por unanimidade, indicar o nome de Maria João Castro para a representar na direcção da Associação Amigos do Coliseu, para o triénio 2020-2023.

A vereadora substituta da Câmara do Porto, pelo Partido Socialista, vai suceder a Paz Barroso enquanto representante da Área Metropolitana, faltando agora ao Estado, neste caso ao Ministério da Cultura, designar quem propõe para a direcção e presidência.

“Não tendo tido qualquer resposta à comunicação que dirigi na passada sexta-feira (…) não tenho condições, por razões de dignidade e confiança, de continuar a assegurar essa representação e o cargo de Presidente da Direcção, ao qual renuncio e do qual me demito”, informa Paz Barroso no email enviado na segunda-feira à AMP.

O representante da AMP na Direcção da Associação dos Amigos do Coliseu acrescenta que a sua demissão, “produzirá efeitos no último dia próximo mês de Abril”, sem prejuízo de solicitar que, “com a urgência que o caso reclama, diligenciem pela efectivação” da sua substituição “no mais curto lapso de tempo possível, já que existem compromissos e decisões da Associação que é necessário acautelar”.

A decisão, refere Paz Barroso, foi já comunicada aos demais membros da direcção, ao presidente da Mesa da Assembleia Geral e ao presidente do Conselho Fiscal da Associação dos Amigos do Coliseu do Porto.

Questionada pela Lusa, a AMP explica que escolheu Maria João Castro como elemento da nova direcção, a ser eleita na Assembleia Geral, “uma vez que a actual está em fim de mandato”.

A Área Metropolitana do Porto assinala que “não substituiu o Dr. Eduardo Paz Barroso, que completaria integralmente, em condições normais, o mandato para o qual foi eleito”.

Nos dois anteriores mandatos, liderados por Paz Barroso, que preside à instituição desde 2014, a decisão de o indicar como presidente coube, primeiro, à Câmara do Porto e, no segundo mandato, à Área Metropolitana.

Na sexta-feira, na última reunião da AMP, o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, revelou que vai propor que Nuno Lemos, que foi administrador da Porto Lazer e que ocupa actualmente um cargo de direcção na empresa municipal Águas do Porto, seja reconduzido no cargo que já ocupava, como vogal da direcção.

O independente anunciou ainda que vai levar o assunto a reunião do executivo de dia 09 de Março, antes da Assembleia-Geral dos Amigos do Coliseu marcada para dia 13.

Comments

be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP
Translate »