BORBA: AUTARCAS, ANTIGO DIRECTOR REGIONAL E EMPRESA EXPLORADORA CONSTITUÍDOS ARGUIDOS

O presidente e o vice-presidente do município de Borba, um antigo diretor regional de Economia do Alentejo e a sociedade exploradora da pedreira são alguns dos arguidos no caso da derrocada da estrada em 2018, segundo a acusação.

Os autarcas António Anselmo e Joaquim Espanhol, presidente e vice-presidente, respetivamente, estão acusados de cinco crimes de homicídio, assim como o antigo diretor regional de Economia João Filipe de Jesus, é referido no despacho de acusação, consultado hoje pela agência Lusa.

A sociedade Ala de Almeida Limitada, que possui a licença de exploração da pedreira, e o respetivo responsável técnico Paulo Alves estão acusados, cada um, de 10 crimes de violação de regras de segurança.

Os outros arguidos são funcionários da Direção-Geral de Energia e Geologia, nomeadamente José Pereira, diretor de Serviços de Minas e Pedreiras, Bernardino Piteira, chefe da divisão de Pedreiras do Sul, e Maria João Figueira, da divisão de Licenciamento e Fiscalização, que estão acusados também de cinco crimes de homicídio.

 

LEGENDA

O presidente da Câmara Municipal de Borba, António Anselmo, cumprimenta populares à chegada para uma conferência de imprensa na sequência do comunicado emitido pelo Ministério Público, decorrente do colapso da Estrada Nacional 255, ocorrido em novembro de 2018. Borba, 20 de fevereiro de 2020. NUNO VEIGA/LUSA

Santander Internacional

Comments

be the first to comment on this article

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP
Translate »