Brexit: Oposição rejeita novas eleições propostas pelo Governo 

A proposta de eleições antecipadas em 15 de Outubro feita pelo primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, caso fosse aprovada a lei que travava a saída sem acordo, foi hoje inviabilizada pela oposição.

O Governo precisava do apoio de 434 deputados, correspondentes a dois terços do total dos membros da Câmara dos Comuns, mas só conseguiu 298 votos a favor.

O partido Trabalhista, Liberais Democratas e o Partido Nacionalista Escocês (SNP), os partidos de oposição com maior expressão, abstiveram-se, enquanto que 56 deputados votaram contra.

A proposta de eleições antecipadas foi feita pelo Governo após a derrota na Câmara dos Comuns na terça-feira, que deu a um grupo de deputados conservadores aliados à oposição o controlo para introduzir legislação para impor um novo adiamento do ‘Brexit’ que impeça uma saída sem acordo em 31 de Outubro.

Jeremy Corbyn e o resto da oposição acreditam que o voto de 15 de Outubro seria mais uma manobra de Johnson, para poder introduzir o Brexit sem acordo antes de 1 de Novembro, aproveitando o prazo de tempo do processo de publicação da nova lei. Assim, preferem esperar e ver aprovada a lei e só depois marcar a data para uma nova eleição, cortando as pernas às intenções do Governo.

Segundo alguns comentadores políticos na Sky TV, Boris Johnson ainda se pode demitir, deixando a oposição com um problema para resolver, já que a Rainha teria de marcar, de imediato, novas eleições. Neste processo do Brexit, depois de 3 anos de confusão, temos de aceitar que ainda tudo é possível. Vamos aguardar…

Comentários

be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ir para TOPO
Translate »