Governo quer que experiência do turista britânico em Portugal continue “normal”

“Tudo será criado para que os turistas do Reino Unido não sintam, apesar da saída do Reino Unido da União Europeia, qualquer alteração na experiência que têm em Portugal”, foi a garantia deixada por Pedro Siza Vieira, ministro Adjunto e da Economia, que falava esta quarta-feira aos jornalistas, à margem da inauguração da BTL.

Em dia de nova votação do Brexit no Reino Unido, este acabaria por ser um tema fulcral no encontro do governante com a imprensa, já que, como sublinhou Pedro Siza Vieira, “o mercado britânico é muito significativo para Portugal, é o que mais turistas gera para o nosso país, tendo uma presença particularmente importante no Algarve e na Madeira”. Por via disso, e face à incerteza do Brexit, o ministro garantiu que “estamos a fazer uma promoção intensa de Portugal” no Reino Unido e “a contactar os operadores turísticos e as agências de viagens, dando conta das condições que temos” para os turistas britânicos.

O governante aproveitou para anunciar que já “próxima semana” vai ser lançada uma campanha dirigida ao mercado do Reino Unido para mostrar aquilo que Portugal está a fazer no sentido de “tentarmos assegurar que a experiência do turista britânico seja a mais normal possível”.

Neste sentido, e conforme tem sido noticiado, os turistas britânicos continuarão, por exemplo, a não necessitar de visto para entrar em Portugal, e a ter acesso ao Serviço Nacional de Saúde, entre várias outras medidas, com o ministro a garantir que “tudo será criado para que os turistas do Reino Unido não sintam, apesar da saída do Reino Unido da União Europeia, qualquer alteração na experiência que têm em Portugal”.

Quanto à estratégia global para o turismo, o ministro da Economia, diria que ela passa por “crescer sustentavelmente e assegurar que diversificamos a oferta com mais mercados que estamos a procurar””, sublinhando a propósito que “crescemos sobretudo fora dos quatro mercados tradicionais” e “fora das regiões turísticas tradicionais”.

Comentários

be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ir para TOPO
Translate »