BREXIT: Acordo de novo chumbado e Theresa May já fala num 2º Referendo

O acordo do governo de Theresa May com a União Europeia foi, pela segunda vez, chumbado no Parlamento com 391 votos contra e 242 a favor. Um expressivo revés para a primeira-ministra que, inexplicavelmente, insistiu passar o seu tratado com Bruxelas já rejeitado anteriormente em Janeiro, por mais de 200 deputados.

Depois de ter levantado as expectativas sobre um possível acordo com a UE, anunciando uma garantia legal para a fronteira com Irlanda do Norte, condição necessária e suficiente para passar o documento no Parlamento, durante o dia de hoje o procurador geral do Reino veio a confirmar que a licitação legal não dava qualquer garantia e o ‘backstop’ (transferência da fronteira com Irlanda do Norte para o território do Reino Unido) só poderia ser interrompida, caso seja encontrada uma solução exequível.

Também durante o dia era sabido que a segunda votação do acordo do governo britânico seria maioritariamente chumbada e, por isso, a maior parte dos comentadores políticos admitiam que “não fazia sentido ser apresentado de novo aos deputados”, apenas pela teimosia da primeira-ministra em manter o agendamento dos trabalhos do Parlamento para esta semana.

Assim, amanhã, quarta-feira o Parlamento vota para aprovar a saída sem acordo, que está prevista vir a ser chumbada por uma grande maioria e na quinta-feira, finalmente, a adiamento do Artigo 50 aprazado para o próximo dia 29 de Março. Na apresentação do programa destes trabalhos na Câmara de Comuns, Theresa May admite que uma saída da crise será proceder a um 2º Referendo sobre a saída da Grã-Bretanha da União Europeia.

A confusão continua e a instabilidade está bem patente na queda da libra, em cerca de 1%, em relação ao euro e dólar.

Durante a discussão do acordo no Parlamento, Theresa May voltou a mencionar a decisão em seguir em frente com o ‘settle status’, que mantém os direitos e garantias dadas aos imigrantes ‘europeus’, seja qual for o desfecho do Brexit.

Comentários

be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ir para TOPO
Translate »