Três quartos de novos eleitores e jovens que não votaram derrotariam o Brexit num 2º referendo

De acordo com uma nova pesquisa de opinião pública, cerca de 74% dos novos recenseados jovens demais para votar no referendo do Brexit em 2016, mas que desde então atingiram a idade de voto, votariam para permanecer na UE, no caso fosse convocado um segundo voto público. Seriam mais de 2 milhões que participariam num novo sufrágio.

A pesquisa, realizada pelo BMG para grupos de jovens anti-Brexit “Our Future”, “Our Choice” e “For Our Future’s Sake”, sugere que o voto dos jovens seria crucial num segundo voto e poderia alterar significativamente os resultados de 2016.

A pesquisa entrevistou dois grupos: aqueles que eram jovens demais para votar em 2016 e aqueles que eram elegíveis para votar, mas não o fizeram. Cerca de 72% dos jovens,  que não tinham idade para votar no referendo original, acham que seria injusto se a Grã-Bretanha deixasse a UE sem que pudessem votar nessa decisão.

Apenas 3% deste grupo demográfico acredita que a influência da Grã-Bretanha tenha aumentado desde Junho de 2016, data em que se efectuou o referendo. A mesma pesquisa revela que apenas 4% dessa faixa etária foram contactados pelo seus deputados locais em relação ao Brexit. Segundo os mesmos, não é certo que tenham sido as gerações mais velhas a “decidirem o nosso futuro” na Europa.

Lara Spirit, co-fundadora do “Our Future, Our Choice”, diz ter sido importante “podermos entrevistar um grupo que não tem sido consultado no debate do Brexit – aqueles que não conseguiram votar porque eram então muito jovens (.) O governo não fez nada para abordar as preocupações dos jovens em relação ao Brexit. É por isso que estamos mais do que nunca unidos sobre o assunto.”

Separadamente, a análise do eleitorado por parte do YouGov, outra empresa de sondagens britânica, afirma que mais de 25.000 eleitores questionados sobre o acordo do Brexit de Theresa May, só dois dos 632 distritos eleitorais votaria a favor da primeira-ministra.

Comentando, Peter Kellner, o ex-presidente do YouGov, declarou que “a coesão que produziu uma maioria para o Brexit há três anos está-se desmoronando. Na altura reuniu os tradicionalistas da Grã-Bretanha conservadora que viam a União Europeia como uma ameaça aos valores e à soberania britânica, com as famílias no centro do país que acreditavam que “Bruxelas” ameaçava os seus padrões de vida e as perspectivas de emprego de seus filhos.”

Na opinião da empresa de sondagens, a única que previu a vitória dos que apoiavam o Brexit,  o resultado de um segundo referendo traria resultados muito diferentes.

Comentários

be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ir para TOPO
Translate »