Regras de excesso de velocidade: Está lançada a confusão e o pânico!

A regra dos limites de velocidade nas estradas do Reino Unido passa por um momento confuso, gerando o pânico entre os condutores. Bem demarcadas e publicitadas essas velocidades mínimas gozaram, durante décadas, de uma tolerância que tende a ser retirada. Algumas das autoridades locais já funcionam em tolerância zero. Mas o que se passa? Damos-lhe aqui uma perspectiva sobre o que pode esperar deste assunto.

Na verdade, tudo indica que as regras de excesso de velocidade estão a ser revistas em todo o Reino Unido, decorre uma investigação oficial sobre como a lei é aplicada e isso pode significar que os motoristas venham, a breve trecho, a serem multados por velocidades muito mais baixas.

De acordo com o jornal ‘MailOnline’, está em curso uma revisão oficial sobre como a lei de excesso de velocidade é aplicada pelas autoridades policiais em todo o país, com vista a reduzir o limite em que os motoristas eram punidos.

Se as mudanças propostas entrarem em vigor, pode significar um corte de mais de 10% nas velocidades que os veículos são, presentemente, autorizados a circular, antes da polícia os multar.

Atualmente, as forças são aconselhadas a permitir que os motoristas conduzam no limite de velocidade, mais 10%, mais 2 milhas/h.

Isso permite uma tolerância prevista nos mecanismos dos velocímetros e radares de velocidade.

Mas à medida que a precisão dos equipamentos vai melhorando, sectores das autoridades acham que a tolerância já não faz sentido e apenas aumenta o risco de acidentes, porque dá uma falsa impressão de que está “certo” acelerar.

A polícia de transito nacional, liderada por Anthony Bangham, acredita que é “preciso mudar a mensagem e garantir maior consistência de abordagem ao lidar com aqueles que ultrapassam o limite de velocidade”.

A seu ver “a orientação de aplicação de velocidade existente (em particular a tolerância de 10% + 2milhas/h do conhecimento publico) pode estar, de facto, a encorajar os motoristas a conduzir a velocidades mais perigosas e mais altas que os limites de velocidade autorizados”.

Ultimamente, tem sido notícia condutores multados a uma ou duas milhas acima dos limites, de certa forma, abaixo dos limites de tolerância, só que nada na lei obriga a aceitar qualquer grau de tolerância. Estas são apenas sugestões e podem, ou não, ser implementadas, criando grande confusão, descontentamento e pânico nos motoristas em geral.

Como funcionam as câmaras de velocidade?

As câmeras que todos conhecemos medem a velocidade do veículo quando este cruza um ponto de referência e, se a velocidade for superior ao registo permitido, tira uma foto e regista em filme a velocidade. Passado um tempo o condutor recebe a multa pelo correio.

Só que agora há outro tipo de câmara mais sofisticada. Actuam aos pares, são dispostas em locais separados ao longo de um intervalo de estrada (a um mínimo de 200m de distância) e são sincronizadas para registar o tempo exacto que cada carro passa, usando a tecnologia de leitura de placas.

Em seguida, um computador calcula a velocidade média entre as câmeras e determina se o carro viajava acima do limite de velocidade.

Algumas pessoas acham, erradamente, que cada câmera grava a velocidade de um motorista que por ela passa, mas assim não é.  Funcionam na base do cálculo da velocidade média pelo computador entre todas as câmeras – castigando tantos quantos pensam poder acelerar entre as câmeras e desacelerar quando passam elas. Isso, brevemente, custar-lhes-á uma multa!

As câmeras funcionam à noite?

Sim. Elas estão equipadas com células infravermelhas para garantir que funcionam dia e noite, e em todos os climas.

As câmeras podem ficar sem filme?

Não. Ao contrário de outras câmeras de velocidade, as informações captadas pela câmera de velocidade são salvas num computador.

As câmeras podem pegar motos?

Sim. As câmeras estão equipadas para captar todos os tipos de veículos.

Se um veículo mudar de faixa, evitará multas?

Não. As câmeras calculam as mudanças de faixa. O mito que mudar de faixa foge à detectção da câmera não é verdadeiro, apenas perigoso porque pode causar um acidente.

Se um motorista passar mais de dois conjuntos de radares de velocidade médios e ultrapassar o limite de velocidade várias vezes, podem ser multados mais de uma vez?

Isso é improvável. A maior parte das câmeras de sequência são ’emparelhadas’, então onde, por exemplo, há quatro numa sequência, elas calculam a sua velocidade entre a primeira e a terceira ou a segunda e a quarta ou a primeira e a quarta.

No entanto, você não saberá quais estão gravando a sua matrícula.

Se estiver conduzindo a mais de 10 por cento acima do limite, poderei ser multado?

Tem sido essa a postura das autoridades policias ao longo dos anos no que se trata de tolerância, desde que sua velocidade não exceda o limite em mais de 10 por cento mais 2 milhas/h. Mas como dissemos isso é apenas uma orientação, nada nos garante que é seguida textualmente.

Várias forças policiais em todo o país indicam não seguirem esse tipo de tolerância e acompanhar as indicações das actuais câmaras que são mais precisas – já que a lei estabelece que um motorista  pode ser multado assim que ultrapassar o limite, mesmo que seja apenas mais 1 milha/h.

Então como pode evitar uma multa?

Há apenas uma maneira de garantir não receber uma multa de radares de velocidade – não conduzir em excesso de velocidade.

Se as novas regras forem introduzidas, haverá tolerância zero. Actualmente, os condutores podem “fugir” de serem autuados se conduzirem a 79 milhas/h numa autoestrada, se a regra “tolerância” for aplicada, bem como 35 milhas/ h dentro de populações.

A serem impostas as novas regras o condutor poderá ser penalizado por £100 e três pontos na carta, por apenas mais 1 milha acima dos limites.

Quais são as penalidades de excesso de velocidade?

A multa mínima por excesso de velocidade é de £ 100 e três pontos adicionados à carta de condução. Depois tudo dependerá da velocidade que for detectado.

No caso de acumular 12 ou mais pontos de penalidades poderá  ser impedido de conduzir por 3 anos.

Comentários

be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ir para TOPO