Mais de 1.200 britânicos impedidos de ir ao Campeonato do Mundo

 

Mais de 1.200 britânicos, com histórico de violência ou distúrbios relacionados com o futebol, foram impedidos de viajarem para a Rússia e assistir ao Campeonato do Mundo de Futebol, depois das autoridades lhes terem confiscados os passaportes.

Os números mais recentes, divulgados um dia antes do inicio do torneio de 2018 e cinco dias antes do primeiro jogo da Inglaterra contra a Tunísia, mostram que as forças policiais na Inglaterra e no País de Gales retiveram 1.254 passaportes.

A polícia continuará a tentar localizar os restantes ‘hooligans’ durante o torneio e manterá documentos confiscados até a final em 15 de julho.

Mark Roberts, vice-chefe da polícia e responsável nacional do policiamento no futebol, disse que “antes do Campeonato do Mundo, foi implementada uma acção de policiamento em todo o país, para reter os passaportes daqueles referenciados e falta apenas um punhado deles, ainda em circulação”.

Além das ordens de proibição, a polícia será enviada aos principais portos do Reino Unido durante o Campeonato do Mundo e impedir que ‘hooligans’ conhecidos viajem para a Rússia antes e durante o torneio.

Assim como uma delegação de policias do Reino Unido deve viajar para a Rússia, a pedido do país anfitrião, para ajudar as forças de segurança russas a policiar o torneio. Cerca de 10.000 pessoas devem viajar do Reino Unido para a Rússia para assistir ao Campeonato do Mundo de Futebol.

Comentários

be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ir para TOPO