Escândalo sexual em organismo de solidariedade Mundial

Após um sismo destruidor, responsáveis pela ONG (Organização Não Governamental) OXFAM contrataram prostitutas, algumas menores, no Haiti em 2011 e altos funcionários da organização sabiam e tentaram abafar o caso, para evitar que as doações à sua actividade pudessem ser afectadas.

Na sequência do escândalo, a vice-directora da organização demite-se e reconhece ter recebido previamente queixas de teor sexual sobre os membros da organização enviados ao Haiti.

Penny Lawrence anunciou publicamente o seu afastamento desta forma: “Como diretora na altura, sinto vergonha do que aconteceu e assumo toda a responsabilidade”.

Segundo o jornal britânico “The Observer”, essa responsabilidade passa por ocultar factos anteriores e reconhecer que a organização humanitária já tinha recebido queixas idênticas previamente.

Em causa estará uma missão efetuada em 2006 ao Chade, liderada pelo belga Roland van Hauwermeiren, que viria a ser acusado de recorrer, ele e outros membros, ao serviço de prostitutas nas instalações da Oxfam. Mesmo assim, foi enviado como chefe de equipa ao Haiti seis anos mais tarde.

GOVERNO BRITÂNICO AMEAÇA CORTAR FINANCIAMENTO

Londres convocou uma reunião com responsáveis da Oxfam e admite poder retirar os donativos que esta ONG recebe, um dos mais conhecidos organismos de solidariedade e um dos mais conhecidos no combate à pobreza e na assistência em contextos de emergência.

Entretanto, a direção da Oxfam garante que tudo já mudou. “Aquilo que aconteceu no Haiti não poderia acontecer hoje com o sistema atual e as novas regras. Mas ainda há coisas que podemos melhorar, estamos empenhados em fazê-lo e nunca iremos permitir que isto suceda outra vez”, afirma Winnie Byanyima, diretora executiva da Oxfam International.

Em causa estão as denúncias sobre responsáveis da Oxfam que terão contratado prostitutas, algumas possivelmente menores de idade, durante a mobilização para o Haiti em 2011 após o sismo que devastou o país. Na sequência destas revelações surgiram, entretanto, outras que apontam para uma situação idêntica durante a intervenção da Oxfam no Chade.

No noticiário da BBC 2, afirma-se que o facto não se cinge apenas à OXFAM e que, no curto espaço de tempo, outros escândalos sexuais virão à superfície, perpectuados noutras regiões de apoio.

Comentários

be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ir para TOPO
Translate »