Português envolvido num ataque a jovem britânica com banho de ácido

Uma representante de empresa turística britânica no Algarve sofreu queimaduras em 50% do corpo com uma substância àcida, depois de ter sido supostamente atraída para um encontro amoroso planeado pelo ex-namorado, Cláudio Gouveia.

A jovem, Ellie Chessell, de 29 anos teria sido atraída para um “esquema” montado em Portugal, através do sítio de encontros amorosos Tinder, quando se foi encontrar com um rapaz chamado ‘Diogo’.

O atentado aconteceu em maio de 2017 depois de várias ameaças, por mensagens de texto, dois meses depois de se separar de Cláudio Gouveia, residente na Madeira.

Segundo o jornal britânico ‘Daily Mirror’, os arquivos do tribunal afirmam que Gouveia e um suposto ‘executor’, Edmundo Helder Rodrigues Fonseca, viajaram da Madeira para o Algarve quatro dias antes do ataque. Durante a relação, Ellie e Cláudio moravam juntos naquela ilha.

Chessell acusa o ex-namorado de organizar a emboscada, após acto de violência doméstica numa discussão sobre dinheiro e ciúmes, que provocou a sua separação.

As polícias portuguesas e britânicas foram avisadas das ameaças de que a jovem fora alvo antes do atentado, de acordo com documentos da acusação.

“Eu pensei que, no início, que o líquido jogado era urina, mas rapidamente percebi que era ácido porque senti queimaduras e percebi que eu tinha caído numa armadilha organizada pelo meu ex-namorado”, disse ela.

Antes do ataque, teria recebido uma ameaça que dizia: “Eu vou te encontrar … vais morrer”. Gouveia, de 34 anos, teria alegadamente também contactado os pais da jovem em Newport, Ilha de Wight, por mensagem, na qual dizia que iria queimar o rosto da filha.

Ellie diz que Cláudio lhe teria pedido antes para voltar, oferecendo um “começo fresco”. Como não respondeu, diz ter recebido uma mensagem dizendo: “Vou encontrá-la (.) e você vai morrer”.

Os procuradores de justiça alegam que o Sr. Gouveia continuou a ameaça-la e que viajou para o Algarve com um amigo, Edmundo Fonseca, quatro dias antes do ataque, que teria sido o executor do atentado à jovem.

O perfil do Tinder com o nome “Diogo”, alegadamente, desapareceu após a jovem ter sido atacada com a substância ácida. Cláudio Gouveia encontra-se em prisão preventiva desde 29 de maio de 2017. Edmundo Fonseca, de 44 anos, foi encontrado no Uganda preso por acusação de posse de heroína e deverá ser extraditado em breve para Portugal, para ser julgado em conjunto com o amigo.

Comments

be the first to comment on this article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Go to TOP
Translate »